As galáxias espirais podem ser bem mais velhas do que pensamos
2 de Junho de 2021

A nossa galáxia, a Via Láctea, é linda e os seus “braços” indicam que é de tipo espiral.

As galáxias espirais representam 70% do total de galáxias. Porém, quanto mais para trás olhamos na história do Universo (para uma época mais próxima do Big Bang), menos galáxias espirais vemos.

Os astrónomos levantam então a questão: como e quando se formaram as primeiras galáxias espirais?

Num artigo publicado recentemente na revista Science, uma equipa de astrónomos, usando dados do Observatório ALMA, relata que detetou uma galáxia, denominada BRI 1335-0417, que se encontra a apenas 1,4 mil milhões de anos do Big Bang. Como o Universo tem quase 14 mil milhões de anos, esta galáxia é realmente muito velha, já que se formou quando o Universo era muito jovem!

BRI 1335-0417 contém uma grande quantidade de poeira, que torna muito difícil a observação da luz das estrelas e estudar a galáxia em detalhe usando luz visível. No entanto, como o ALMA deteta emissões de rádio, é possível usá-lo para perceber o que se passa no interior da galáxia.

Um dos seus braços espirais tem cerca de um terço do tamanho de toda a Via Láctea.

Segundo os investigadores, a massa total de estrelas e de matéria interstelar em BRI 1335-0417 é quase igual à da Via Láctea. “Para uma galáxia do Universo inicial, BRI 1335-0417 era gigante”, disse Takafumi Tsukui, aluno da Universidade de Estudos Avançados - SOKENDAI, no Japão, que liderou o estudo.

Os astrónomos querem agora perceber como foi possível ter surgido esta galáxia espiral numa fase tão inicial do Universo. Terá sido resultado da fusão de galáxias mais pequenas? E qual será o seu futuro? BRI 1335-0417 deixará de ser espiral para se transformar numa galáxia elíptica?

As respostas a estas questões terão um papel importante no estudo da evolução das galáxias ao longo da história do Universo - e podem até trazer-nos mais pistas sobre a formação do Sistema Solar!

Crédito da Imagem: ALMA (ESO/NAOJ/NRAO), T. Tsukui & S. Iguchi.

Facto curioso

BRI 1335-0417 está ainda a formar estrelas, porque o gás nas suas regiões mais externas é gravitacionalmente istável. Por isso, os astrónomos acreditam que a galáxia pode ter resultado da fusão de duas galáxias mais pequenas. Quando isto acontece, há uma grande quantidade de gás e poeira que se desloca do exterior para o interior das galáxias.

This Space Scoop is based on Press Releases from NAOJ , ALMA .
NAOJ ALMA
Imagem
Versão para imprimir

Ainda com curiosidade? Aprende mais...

O que é o Space Scoop?

Descobre mais Astronomia

Inspirando uma nova geração de Exploradores Espaciais

Amigos do Space Scoop

Contacta-nos