A estrela mais próxima parece cada vez mais familiar
17 de Novembro de 2017

Falar de Vida no Universo não quer dizer que tenhamos que mencionar ETs – podemos falar apenas de nós mesmos.

Até agora não temos notícia de visitas de seres extraterrestres à Terra, mas a verdade é que os humanos também ainda mal se aventuraram no Universo. Será que algum dia teremos a possibilidade de deixar o nosso Sistema Solar e explorar o espaço profundo?

Se isso acontecer, um destino óbvio para a s primeiras viagens é a estrela mais próxima do nosso Sistema Solar, a Próxima do Centauro.

Com a tecnologia de propulsão espacial actualmente disponível, levaríamos dezenas de milhões de anos a chegar lá. Mas um novo projeto, chamado StarShot Project, tem planos para reduzir o tempo desta viagem para uns meros 20 anos.

Os cientistas planeiam usar dezenas de poderosos lasers para impulsionar sondas miniaturizadas na direcção da estrela, a velocidades de cerca de 60000 km por segundo. A essa velocidade, uma ida à Lua demoraria menos de 7 segundos!

Mas será que a Próxima do Centauro vale mesmo a visita?

Ao que parece, quanto mais investigamos o espaço em redor desta estrela, mais ele se torna interessante e excitante. No ano passado foi descoberto um planeta rochoso, semelhante à Terra, em órbita da estrela. Recentemente, descobrimos que ela tem à sua volta anéis, chamados ‘cintos de poeiras’, repletos de fragmentos de rocha e gelo.

Estes cintos são-nos familiares; de facto, o nosso próprio Sistema Solar engloba duas regiões desse género: o Cinturão de Asteroides e a Cintura de Kuiper. Essas regiões contêm os fragmentos que sobraram da formação do Sistema Solar, o material que não se incorporou nos objetos de maior dimensão, como planetas e satélites.

A presença destes cinturões rochosos diz-nos que a Próxima do Centauro alberga provavelmente mais do que um planeta, apesar de não termos até agora conseguido detectar mais nenhum.

Esta descoberta também ajuda o StarShot Project. Um conhecimento preciso sobre o espaço em torno da estrela é essencial para planear com segurança uma missão de sucesso.

Facto curioso

Os fragmentos de rocha e gelo na cintura de poeiras em torno da Próxima do Centauro são muito semelhantes aos que podemos encontrar no nosso Cinturão de Asteróides e na Cintura de Kuiper. O seu tamanho varia desde pequeníssimos grãos de poeira até objetos com vários quilómetros de dimensão. 

This Space Scoop is based on Press Releases from ESO, ALMA.
ESO ALMA

Portal do Astrónomo / NUCLIO

Imagem
Versão para imprimir
Mais space scoops

Ainda com curiosidade? Aprende mais...

O que é o Space Scoop?

Descobre mais Astronomia

Inspirando uma nova geração de Exploradores Espaciais

Amigos do Space Scoop

Contacta-nos

This website was produced by funding from the European Community's Horizon 2020 Programme under grant agreement n° 638653