Demolição Cósmica na Cintura de Asteróides
28 de Fevereiro de 2014

Quantos objetos existem no nosso Sistema Solar?

Existe uma estrela (o Sol), oito planetas (incluindo a Terra), e centenas de luas. Mas muita gente esquece os objetos mais comuns na nossa vizinhança cósmica - os asteróides.

Os asteróides são pedaços de metal e rocha que sobraram da formação do nosso Sistema Solar. A maioria pode ser encontrada entre Marte e Júpiter, numa região do espaço a que chamamos cintura de asteróides. A cintura de asteróides alberga centenas de milhar de asteróides com tamanhos variados, que vão desde pequenas partículas de poeira cósmica a planetas em miniatura. Algumas destas miniaturas ou planetas “anões” são treze vezes mais pequenos do que a Terra.

Recentemente, enquanto observava a cintura de asteróides, o telescópio espacial Hubble captou um evento muito estranho: um asteróide que espontaneamente se desfez em pedaços. “Trata-se de uma rocha. Vê-la a autodestruir-se diante dos nossos olhos é algo de espetacular”, referiu David Jewitt, um dos cientistas que investiga estes asteróides.

Existem várias explicações para este inesperado colapso, mas os astrónomos pensam que a verdadeira causa reside no Sol. Com o passar do tempo, o calor proveniente da luz solar provoca uma rotação cada vez mais rápida do asteróide, algo de semelhante ao que acontece quando se ferve água numa chaleira. À medida que a água aquece, movimenta-se e forma bolhas cada vez mais depressa.

Infelizmente, este asteróide era já um pouco frágil antes de começar a “girar descontroladamente”. Demasiados “encontrões e arranhadelas” com os outros membros da cintura de asteróides deram origem ao aparecimento de fraturas na rocha. À medida que ele começou a girar mais rápido, as fraturas aumentaram, acabando por despedaçar o asteróide.

Um dia, alguns destes pedaços inflamar-se-ão ao entrar na nossa atmosfera, criando um maravilhoso espetáculo de estrelas cadentes!

Facto curioso

O restante material pesa cerca de 200 000 toneladas, que é o peso de dois barcos de cruzeiro! A maioria acabará por precipitar-se para o Sol, mas uma pequena parte poderá um dia brilhar no nosso céu como estrelas cadentes (meteoros)!

This Space Scoop is based on a Press Release from ESA.
ESA

tradução: Paula Furtado (NUCLIO - Núcleo Interactivo de Astronomia)

Imagem
Versão para imprimir
Mais space scoops

Ainda com curiosidade? Aprende mais...

O que é o Space Scoop?

Descobre mais Astronomia

Inspirando uma nova geração de Exploradores Espaciais

Amigos do Space Scoop

Contacta-nos

This website was produced by funding from the European Community's Horizon 2020 Programme under grant agreement n° 638653